Smart Grid de Medição - CELPE

  PROJETO SMART GRID DE MEDIÇÃO CELPE/ FERNANDO DE NORONHA

A Celpe contratou a Ecil Energia para implantar o Smart Grid de Medição desse projeto. A rede de telecomunicações foi implantada com tecnologia WiMAX 802.16e, Fibra Óptica e RF-Mesh, as quais combinadas escoarão o tráfego de dados, que será gerado pelos concentradores de comunicação dos medidores, religadores automatizados e localizadores de falta, para o ponto principal na Usina Tubarão.

Para atender as especificações técnicas do projeto, a Ecil Energia forneceu serviços de engenharia, instalação e integração dos equipamentos de telecomunicações, totalizando:
• Estações Rádio Base;
• 4 Links Ponto a Ponto;
• 35 Subscriber / CPE;
• 10 Pontos de Rede Mesh em 900Mhz e Religadores.





Redes inteligentes em Fernando de Noronha

A Celpe investiu R$ 17,6 milhões para transformar a rede elétrica de Fernando de Noronha em smart grid. Para tanto, a concessionária modificou a infraestrutura elétrica da ilha e instalou 850 medidores inteligentes.inteligentes. 

Com o investimento, a empresa pretende entender melhor o comportamento da carga da região e aplicar ações de eficiência energética. O projeto reuniu as tecnologias mais modernas de medição, telecomunicação, informação e automação de sistemas elétricos. A nova rede elétrica permite uma melhor gestão e monitoramento do consumo de energia de cada ponto em Noronha, além de proporcionar agilidade na correção de falhas elétricas, processos de leitura e ações de religamento.

“Noronha vai ser 100% smart grid”, afirmou Solange Ribeiro, presidente da Neoenergia, holding que controla as concessionárias Celpe, Coelba (BA) e Cosern (RN). Segundo a executiva, a implantação das redes inteligentes também vai proporcionar o desenvolvimento da microgeração no arquipélago. Solange conversou com jornalistas após a inauguração da segunda usina solar Noronha II (550 kWp). Segundo Ana Mascarenhas, gerente de eficiência energética da Neoenergia, a expectativa é que só com o monitorando da carga já proporcione uma econômica de 10%. “As redes inteligentes dão um enorme subsídio para se trabalhar a eficiência energética”, afirmou.

Jose Eduardo Tanuri, diretor de regulação da Neoenergia, explica que as tecnologias de smart grid permitem uma recomposição mais ágil das cargas em casos de falta de energia. “Quase não precisamos de intervenção humana. Outra coisa que ganhamos foi o conhecimento sobre o perfil de caga de cada unidade, permitindo direcionar melhor o atendimento para aquela região”, explicou. Com esse maior conhecimento da rede, também podemos melhorar o perfil de geração da ilha. Esse projeto de smart grid viabilizará a melhoria de tudo isso. A ilha ficará com um perfil de consumo de energia muito mais sustentável”, completou Tanuri.

Fonte: CanalEnergia.